banner_940x145px_txt (1).png

Leo Gomes usa Covid-19 como desculpa para "arregar" de candidatura a vereador

Pergunda que se faz agora é a seguinte. Será que ele vai apoiar seu principal apoiador, Maique Cehab?



Todo mundo já esperava, era questão de tempo. Cedo ou tarde, o secretário de Relações Institucionais, auto-intitulado "braço direito" do prefeito de Macaé iria pipocar. Tal como milho que pula na panela, assim que a temperatura sobe, Leonardo Gomes, também pulou e, em textão postado no face, usou a pandemia como desculpa para desistir da candidatura para voltar ao governo (e ao excelente salário de R$ 12 mil). Porém, a desistência nada tem a ver com a pandemia, até porque Leo não é profissional de saúde e está muito longe da linha de frente do combate ao vírus. Pelo contrário, seu trabalho é fazer política, algo que pode ser feito com ou sem nomeação. Basta querer.


A verdade é que Léo se viu acuado não pela pandemia de coronavírus, mas pela pouca adesão que tinha à pré-candidatura. Candidatura essa que só tinha força mesmo em sua imaginação ou nos textos do jornalista Marcio Siqueira no Debate. Para quem não sabe, Márcio é jornalista, (um dos melhores da cidade, aliás) e atua como ghostwriter de Léo. Ou você acha que aqueles textos cheios de erudição vinham de onde?


Leo dizia ser "o candidato do prefeito" e anunciava ter muito apoio para vencer a eleição, brigando num partido com gigantes como Julinho do Aeroporto, George Jardim, Dr. Marcio Barcelos (que operou metade da serra de Macaé nos últimos anos), entre outros. No entanto, de apoio mesmo, Leo só contava com Maique Cehab, liderança conhecida do Parque Aeroporto que endossou todo o seu conhecimento e de sua família, para apoiar o secretário. Era uma batalha quixotesca para defender Leo, tantos nas ruas, quanto nas redes sociais. Agora vem o grande teste de Lealdade: será que, caso Cehab venha candidato, Leo fará o mesmo por ele? Como diria outro grande jornalista amigo meu: a conferir.


Ah, antes de terminar vai aqui uma frase: "A política adora a traição, mas repudia o traidor".







Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral