Com apoio da Direita, Gelinho se torna um dos favoritos a uma vaga na Alerj



Quando recebeu do prefeito Welbert Rezende a missão de comandar a secretaria municipal de Trabalho e Renda, em 2020, Cristiano Gelinho não fazia ideia do presente que havia recebido, afinal, com 30 mil vagas de saldo negativo desde 2017 e sucessivas crises, o setor de trabalho e renda praticamente inexistia. Hoje, dois anos e 16 mil vagas de empregos gerados (recorde histórico), o candidato a deputado estadual pelo Podemos se tornou uma grande promessa. Tanto, que foi escolhido pela família presidencial para representar a direita em Macaé e recebeu apoios importantes: dos proprietários do Vinho Bolsonaro ao ex-ministro da saúde Pazuello.


Outro trunfo que posiciona Gelinho como um dos favoritos à vitória é o excelente trânsito no meio empresarial. Não à toa que, no governo Welberth, sua candidatura tenha o apoio de figuras estratégicas, como o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Vianna. Além de apoiador, Rodrigo tem atuado nos bastidores como coordenador. Através dele, portas importantes foram abertas para Gelinho entre o empresariado macaense.


Mas, nem só de empresários se faz uma candidatura. A gratidão de centenas, quiçá milhares de pessoas que conseguiram um emprego através das ações promovidas por ele no Trabalho e Renda e também por sua sucessora, Sabrina Nunes que também o apoia, podem fazer a diferença. Não é à toa que no lançamento de sua candidatura, no clube Fluminense, havia gente saindo pelo ladrão. Muito mais, aliás, do que qualquer figurão conseguiu reunir esse ano.

0 comentário