Feira da enganação: políticos tentam lucrar com o desemprego de Macaé


Definitivamente começou o vale tudo eleitoral em Macaé. Se aproveitando do sofrimento da população desempregada e do forte aparato midiático (custeado com um contrato publicitário de R$ 7 milhões), a Prefeitura de Macaé prometeu, ontem, oferecer mais de mil empregos na "Feira das Oportunidades", evento realizado hoje no Centro de Convenções. A "feira" na verdade não ofereceu um emprego sequer, mas sim apenas realizou cadastros de desempregados, o que as agencias de recrutamento fazem todos os dias, sem precisar pagar publicidade no Jornal O DIA para tanto. E piora: além de fazer a população carente ir para uma enorme fila às 5 na matina na esperança falsa de um emprego, políticos da cidade, como Leo Gomes (pré-candidato a vereador e gestor do contrato milionário de publicidade) e Guto Garcia (pré-candidato governista à prefeitura) ainda tentaram lucrar politicamente com o evento, carinhosamente apelidado de "feira da enganação" pelos participantes.

Além da propaganda enganosa, o alardeado evento também pode resultar em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) pelo Ministério Público Eleitoral. Afinal, é estranho que, justamente a 10 meses das eleições um evento deste tamanho seja realizado para, além de fazer propaganda para os candidatos do governo, com dinheiro público, realizar um mega cadastro com nome, telefone, endereço físico e eletrônico de milhares de eleitores residentes de Macaé. 


Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral