Marvel é processado por Caixa 2: Bolsa Atleta pode ter financiado sua campanha


Paladino da justiça, ética e defensor implacável da honestidade e bons costumes na Câmara de Macaé. Esta seria a epígrafe perfeita para definir o vereador e “jiu-jitseiro” Marvel Maillet. Seria, se não fossem uma série de fatos que colocam em xeque sua credibilidade. Primeiro, com a sua negociação por baixo dos panos com o governo, escrachada por vereadores da base em sessão plenária (leia sobre isso aqui). Porém, o pior ainda está por vir: o vereador, que vem defendendo implacavelmente o pagamento de Bolsa Atleta aos atletas macaenses (80% ou mais praticantes de seu esporte, o jiu-jitsu) pode estar vereando em causa própria. Acontece que, levantamento feito pelo blog aponta que a academia do vereador recebeu, via Bolsa Atleta (ora ora) uma considerável soma em dinheiro durante dois anos da Prefeitura de Macaé. O dinheiro foi recebido pelo irmão de Marvel, César Maillet e a despesa foi atestada pelo próprio. Pelo fato de a academia beneficiada ser do próprio vereador e de a mesma ter sido usada ostensivamente em campanha, existe a possibilidade (e isso é circunstancial) de que este dinheiro possa ter sido usado na eleição. Além disso, uma ação na Justiça acusa o vereador de Caixa 2 e ocultação de patrimônio em suas declarações de bens e prestações eleitorais. Fatos estes que podem lhe custar o mandato.

Recentemente, o vereador foi ao Ministério Público denunciar o fato de que a Prefeitura de Macaé não estava pagando o benefício aos atletas. No âmbito da Câmara municipal, foram vários discursos em defesa do programa e, inclusive, o vereador conseguiu convocar uma audiência pública com a presença do ex-secretário de Esportes, Thales Coutinho, do atual Aquiles Lemos e diversos outros políticos e atletas. O que o vereador não contou em sua petição ao MP e nem em seus discursos da Câmara é o fato de que um destes atletas beneficiados era o próprio irmão. Fora os amigos e colaboradores que atuaram ferozmente em sua campanha. Fatos estes que, por si só, podem configurar conflito de interesses, já que a palavra lobby tem dado muito problema ultimanente na Câmara ultimamente, mas este é um outro assunto.

Caixa 2 e ocultação de patrimônio — O Bolsa Atleta é só o princípio dos problemas que envolvem Marvel. Uma ação judicial movida pelo Partido Verde de Macaé e pelo primeiro suplente de sua coligação José Carlos de Souza (que perdeu a eleição para Marvel por apenas um voto de diferença) acusa o vereador de caixa 2 e de ocultação de patrimônio. Independente da briga política que obviamente há pelo cargo em disputa (o que faz parte do jogo) as provas apresentadas na ação judicial são robustas e podem sim, lhe custar o mandato. Acontece que, na declaração de bens de Marvel, não constam dois bens que estão em seu nome: uma papelaria e um terreno.

Além da ocultação do patrimônio, o que por si só é um fato grave há também outro indício de crime: o vereador, segundo a ação teria praticado Caixa 2: acontece que em sua prestação de contas existe uma doação, de 27 mil, feita pelo próprio vereador à sua campanha. Como não declarou seus patrimônios à Justiça Eleitoral, a origem do dinheiro é desconhecida. Para aumentar ainda o rol das suspeitas, a academia do vereador, via bolsa atleta paga a seu irmão, recebeu a quantia de R$ 72 mil reais. Coincidentemente o valor é mais do dobro do que a misteriosa doação de Marvel à própria campanha. Tomara que o Bolsa Atleta não tenha virado Bolsa Irmão.

Veja abaixo o processo de Caixa 2 movido contra Marvel no TRE (clique nas imagens para ampliar)

#Marvel #CâmaradeMacaé #BolsaAtleta #Caixa2

Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral