Servidores denunciam "ditadura do grito" no Sindiservi Macaé


De uma coisa ninguém duvida: Rosemary Gomes, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Macaé (Sindiserv-Macaé) tem pulmões fortes. Fortíssimos, aliás. Este blog recebeu, por e-mail, denúncia de alguns servidores que participaram da Assembléia Extraordinária realizada ontem para discutir o não pagamento do auxílio alimentação do mês de dezembro e a campanha salarial 2017. Tudo pró-forma, já que as assembleias, segundo os servidores, só servem para ratificar as decisões tomadas monocraticamente pela diretoria, já que os servidores sequer podem falar.

No vídeo, enviado pelo leitor, dá para ver o "nível de democracia" impetrado pela líder sindical. No grito, ela se recusa a colocar em votação uma das propostas apresentadas por uma servidora. O resultado, gritaria, baixaria e confusão (o vídeo fala por si).

NOTA DO BLOGUEIRO: No ritmo que as reuniões do Sindiservi estão acontecendo, daqui a pouco 0o sindicato, que lutou tanto para que a prefeitura não pague o 13º salário aos PMs, vai ter que pedir "arrego" aos próprios policiais para fazer a segurança das reuniões.

Veja o vídeo e tire suas conclusões:


Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral