Aluízio massacra oposição e prova que a política, definitivamente, mudou


Reeleito com 63.397 votos (58,25% do total), Dr. Aluízio é o primeiro prefeito, em 20 anos, que conseguiu um segundo mandato com uma votação superior a todos os candidatos da oposição juntos, e com sobra. Em termos políticos o que isso significa: muita coisa. Veja abaixo alguns pontos que definem um novo paradigma e provam que a política, definitivamente, mudou.

1 - O DISCURSO DE ÓDIO NÃO FUNCIONA — Foi-se o tempo em que distribuir papeis de madrugada, enchendo a caixa de correio das pessoas com boatos funcionava. Hoje, embora isso seja extremamente mais fácil com o Facebook, esta estratégia não funciona mais. Críticas pela crítica e acusações sem provas não mais funcionam. Se a oposição não apresentar uma proposta sólida de mudança e defender esta plataforma, não adianta acusar. O resultado sempre será fiasco.

2 - A VELHA POLÍTICA MORREU — Um dos principais acusadores de Dr. Aluízio passou os últimos três anos na internet acusando ele de "não ter palavra". Neste caso, para a velha classe política macaense, ter palavra é prometer algum benefício ao eleitor e cumprir. Esta política personalista também morreu! Com a Lava Jato pocando por aí, ninguém cai mais na falácia de que vai se dar bem se determinado candidato se eleger.

3 - NINGUÉM SE FAZ SEM GRUPO — Não existem "estrelas" na política, nem mesmo Aluízio com seus mais de 60 mil, votos em duas eleições seguidas. O pecado de alguns oposicionistas e, neste caso cito Danilo Funke (o lanterninha com apenas 6907 votos) é achar que, apenas ser um nome conhecido basta. Porém, é preciso ter uma equipe por trás pensando política. E, pensar política não é ficar atrás de uma tela de computador difamando os outros. Pensar política é encontrar uma estratégia de levar propostas para a rua e fazerem a rua acreditar nisso.

4 - REDE SOCIAL NÃO GANHA ELEIÇÃO — Isso tá mais do que comprovado, nem precisa explicar

5 - OPOSIÇÃO, SÉRIA, SE FAZ DESDE O PRIMEIRO MOMENTO — O pecado de Chico Machado, o segundo colocado com 27.193 votos (25,28% do total) foi entrar no jogo como candidato a apenas 1 ano e meio das eleições. Vejamos o exemplo de Rafael Diniz, o vereador campista que derrotou o império de Garotinho, no primeiro turno. A vantagem de Diniz: ele sempre foi contra a família Garotinho e não foi apenas quando isso se tornou conveniente. E, quando a população entendeu que precisava mudar, viu que Rafael era a pessoa a ser votada. Daí, o resto é história...

#DrAluízio #eleições #ChicoMachado #IgorSardinha #DaniloFunke

Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral