Prefeitura irá à justiça cobrar devolução de R$ 130 milhões e deixa oposição em Pânico


Foi uma verdadeira farra. Durante os oito anos do governo Riverton Mussi (2005-2013), nada menos do que R$ 130 milhões foram "torrados" em desapropriações, a grande maioria beneficiando a políticos da atual oposição macaense. O relatório realizado pelos auditores do TCE aponta o não cumprimento de procedimentos obrigatórios como a falta de estimativa de impacto orçamentário e financeiro. Entre as irregularidades estão ainda a realização de desapropriação sem justa causa, pagamento de indenizações indevidas e superfaturamento. O documento revela que o prejuízo aos cofres da prefeitura foi de R$ 134.480.921,49. O município quer agora reaver na justiça os valores pagos irregularmente.

Um dos que foram beneficiados pelas desapropriações é o hoje líder da oposição Igor Sardinha (PRB). Sardinha tem se mostrado um defensor da moralidade e do bom uso dos recursos públicos. Porém, um terreno de R$ 15 mil, comprado pela empresa do qual o vereador é sócio, foi posteriormente vendido por R$ 3,8 milhões à Prefeitura de Macaé, na gestão do ex-prefeito de Riverton Mussi. Gestão esta em que seu pai, Antônio Sardinha ocupou vários cargos e secretarias. Diante de uma desapropriação tão escandalosa como esta, comprovada por uma fartura de documentos a que o jornal Expresso Regional teve acesso com exclusividade, apenas uma pergunta surge: o que o vereador, bastião da ética e moralidade, discursaria na Câmara, caso os beneficiados pelo esquema não fossem justamente ele e sua família? (leia mais sobre isso na matéria que o jornal Expresso publicou aqui)

Sardinha, aliás, não é o único beneficiado. Porém, seu caso é emblemático para saber como o esquema das desapropriações funciona. No caso dele, um infografo mostra como seu terreninho de R$ 15 mil se tornou numa propriedade milionária, avaliada em quase R$ 4 milhões.

#Sardinha #Desapropriações

Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral