Macaé, uma das sete cidades mais transparentes do Brasil


Apenas sete cidades, quatro do estado do Rio, alcançaram a nota máxima no ranking transparência do MPF. Matéria publicada hoje no O Globo mostra que, apenas 59 municípios do país, num universo superior a 5 mil, tiveram nota acima de 9. E, se você pensa que isso é pouca coisa, lembre-se que hoje Macaé tem um portal da transparência em que qualquer pessoa pode saber quanto ganha, quem são e onde estão lotados os assessores da prefeitura. Ainda isso, contratos, licitações, suplementações e tomadas de preço podem ser consultados, sem a menor burocracia. Tanta transparência, aliás, gerou alguns constrangimentos — por exemplo, a tornar público o supersalários de alguns servidores marajás — porém, estes efeitos colaterais foram necessários para abrir a caixa-preta que era a administração municipal.

E, antes que alguém venha esvaziar esta vitória, afirmando que a Prefeitura não faz mais do que sua obrigação, vamos lembrar de um passado recente e nebuloso: entre os anos de 2008 e 2012, várias ações e denúncias ao MP foram abertas para que a prefeitura, ao menos, revelasse o nome dos assessores. Na extensa lista, que passava de 10 mil, havia pessoas muito curiosas, como ex-vereadores de cidades como Cambuci e Trajano de Moraes e até familiares do famoso sambista Neguinho da Beija Flor (que foi afilhado de casamento do ex-prefeito).

Macaé ainda tem muito a avançar, e ainda tem muita poeira debaixo dos tapetes para ser revalada. Porém, concordamos todos que os primeiros passos já foram dados.

#DrAluízio #2016

Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral