PT de Quissamã é condenado por divulgar pesquisa sem registro eleitoral


Se há um pecado que não pode ser cometido, de jeito nenhum na política, este é o pecado da precipitação. A Justiça Eleitoral de Quissamã condenou o vereador Marcinho Pessa nha, do PT, a ex-vereadora e pré-candidata a prefeito Fátima Pacheco, e também do PT, ao pagamento de 50.000 UFIRs pela divulgação de uma pesquisa eleitoral sem registro, para a Prefeitura, no Facebook . O valor da condenação imposta pelo juiz eleitoral Rodrigo Rocha de Jesus alcança soma superior a R$ 135 mil. Contra a decisão, cabe recurso. As informações são do Blog do Christiano Abreu Barbosa, na Folha da Manhã.

A divulgação da pesquisa foi feita por Marcinho Pessanha em sua rede social. O Partido Social Cristão (PSC) de Quissamã fez uma representação ao Juízo da 255ª Zona Eleitoral, responsável por Carapebus e Quissamã. O juiz eleitoral Rodrigo Rocha de Jesus condenou Marcinho Pessanha e Fátima Pacheco, que teriam apresentado defesa fora do prazo.

Fátima foi candidata a eleição em 2012 e é pré-candidata na próxima eleição municipal, concorrendo, possivelmente, contra o ex-prefeito Armando Carneiro, que foi do PSC e hoje está no PSB. Na pesquisa divulgada ela lideraria as intenções de voto.

#Eleições #2016 #Quissamã

Visto em

© 2023 por André Luiz Cabral